sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

A vida não se faz num click



Procurei no dicionário, procurei nas gavetas mentais, fiz enquete, procurei no arquivo morto da minha alma, naqueles espaços que deixamos frestas, lacunas que sobraram e não achei a diferença entre nostalgia e saudade. Somente encontrei entre o mofo e o cheiro do passado, aquele cheiro que nos remete imediatamente a algo ou alguém que nos mexeu em determinado momento, o gosto de fel misturado a má digestão com pitadas de desejo. Desejo de voltar atrás e recomeçar.

Desde que me lembro de ser alguém, coisa essa que me dei conta de verdade ali pelos idos dos 4 anos, que sinto isto, na hora do aperto não amarelo, mas fica martelando na cabeça o pensamento ( covarde ou ilusório) de voltar atrás e recomeçar.
Me lembro até hoje de embates que travei entre eu no mais íntimo sentido da palavra e o mundo, peleias travei, mas sempre com a vontade ali a me espremer o coração rezando pro passado voltar e tentar tudo de novo, como se num passe de mágico num estalar de dedos eu pudesse rebobinar a fita da minha vida e um novo começo com traços mais retos em linhas marcantes desenhar um futuro diferente. Mas não deu, não dá e já era. O momento de virar a chave e fazer diferente o caminho não aconteceu e agora é trabalhar com o que tenho e assim seguir a caminhada mesmo que no meio do vasto campo não consiga andar.

"Só sei que nada sei" - Sócrates

12 comentários:

Denise do Egito disse...

Ô, Carolina
Já entendi porque vc gostou tanto do pensamento lá no Papo Calcinha. Sai do passado, mulher! Aproveita que vem um novo ano aí e começa um movimento interno de abrir novos caminhos para sua vida. O que passou, passou. Não fica remoendo, nem pensando os "se". Se eu isso, se ele (ou ela) aquilo... Abre o peito, olha pro mar, respira fundo e comece a fazer afirmações positivas diariamente para seu novo ano. Você vai ver que as respostas virão. Boa sorte!
Beijos

Iêda disse...

Viajei com seu texto!
Me sinto assim de vez em quando...
bjo

Pâmela disse...

Sim, todos já tentamos voltar atrás e todos já imaginamos como seria e o que faríamos diferente...
Mas não dá mesmo.
Vamos seguir em frente porque o mundo não pára de girar, a vida é uma só, atrás vem gente e mil e outros clichês.
Beijos!

Caroline disse...

carambaaaa!!
viajei também!

logo eu, que sou tão nostálgica...
talvez seja por isso que sempre fico triste nos finais de ano. odeio finais.

adorei...

beijo!

Monica Loureiro disse...

Como você escreve bem !
Quero dicas de livros suas também !

Valéria Martins disse...

"Deixo amorosamente meu passado para trás", diz a sábia Louise Hay. Essa afirmação é milagrosa.
E a concentração no momento presente, que é um eterno início para o que você quiser. Comece! Agora!

Bill Falcão disse...

Entendo perfeitamente o que você sente, Carol!
Algumas pessoas têm esse desejo imenso de poder voltar atrás e modificar muitas coisas que fizeram ou deixaram de fazer.
Comigo, parece que tudo ocorreu na época errada. Quase tudo! E já fiquei muito deprimido por causa disso.
Aproveito pra recomendar o filme "Peggy Sue - Seu passado a espera", de Francis Ford Coppola, com Kathleen Turner e Nicolas Cage, que toca muito bem nesse assunto. Me identifiquei muito com (quase) tudo. Depois me conta!
E um bjooooooooooo!!!!!!!!!

devaneiosdeumqualquer disse...

Haverá de achar uma forma para caminhar, você vai ver.

Acho que saudade é o sentimento de sentir falta de alguma coisa que nos foi importante. Nostalgia é lembrar dessa saudade, e querer que o tempo volte a ser como antes.. quando a saudade ainda era o presente.

Bjo.

Dany disse...

Quem dera pudéssemos voltar no passado e mudar as coisas! Eu teria realmente muita coisa pra organizar! Mas talvez só desse certo e levássemos conosco, a certeza de que aquilo que queríamos viver no passado, não fosse dar certo no futuro!
Caso contrário, como diz Gessinguer... "Erraria tudo exatamente igual"

Bjos, linda!

Heloísa disse...

Carolina,
Vim conhecer seu espaço e gostei muito.
Essa reflexão sobre a vontade de voltar ao passado para reescrevê-lo está linda. Mas acho que é justamente a impossibilidade do retorno que nos ajuda nas ações futuras.
Beijo

Menina de óculos disse...

Eu demoro pra esquecer o passado. E isso complica ainda mais minha vida...

:(

Iêda disse...

Olá!! Terminei o trabalho e passei para tomar um café! rs
Obrigada pela visita no Vida Bailarina!
Beijos