segunda-feira, 3 de maio de 2010

A tristeza não precisa ser uma rendição.


No filme Tudo acontece em Elizabethtown, num determinado momento, a protagonista fala que a tristeza é uma rendição.
Concordo. É fácil  render-se em meio a guerra diária, suas mazelas e suas atribulações.
É uma atração perigosa esta que nos chama quando a tristeza encosta de jeitinho em nós, se afoga nos nossos braços e estreita a nossa alma afetando de um jeito desastroso o nosso mundo e de quem nos rodeia. No vácuo do sentimento, ali te sugando.
O difícil nesta vida é pelear para não se dobrar, não deixar o baixo astral nos afetar.
Transformar e ditar as regras por uma atitude mais salutar.
Manter o espírito alegre não é impossível.
Existem pessoas que já vem com a poção pronta, são felizes por natureza e há àquelas que fazem disto um exercício diário.
Acredite que no final da batalha todos temos direito a esta fatia da torta chamada felicidade.
O que importa é crer e o resto flui naturalmente.

16 comentários:

Iêda disse...

É só acreditar que "tudo passa e a felicidade sempre volta, sempre está a nossa espera!"

Dama de Cinzas disse...

Eu encaro esses momentos de tristeza como uma recuada estratégica dentro da guerra... Precisamos parar pra rever novos caminhos... A tristeza nesse sentido é super necessária e benéfica... O chato é quando se fica estagnada tempo demais nela...

Beijocas

Nati disse...

E quem disse que viver seria fácil?!?! o gostoso é depois de um dia cheio, corrido e decepcionante você ir deitar com aquela sensação de 'eu fiz o meu melhor', acredito muito na felicidade e busco ela todosantodia =)
Um beijo

Babi Mello disse...

oi! carol, faz um certo tempo que assisti esse filme, mas o que eu me lembro e da peregrinação que os persongens passam para encontrarem a felicidade de fato. Acredito que na vida seja assim mesmo, uma verdadeira caminhada em busca daquilo que nos fará de fato feliz.
bjocas!

Ana disse...

Oi moça, quanto tempo! Eu confesso que já fui mais pessimista, mais melancólica, mas percebi que é isso mesmo que vc disse. Ser feliz para algumas pessoas é treino (o meu caso). às vezes quando me pego reclamando (de barriga cheia) me dou bronca e mudo de pensamento. Geralmente funciona... rs
Vc levanta cada assunto bom hein?
Um beijo,
PS: Eu acho esse filme sensacional!

Dany disse...

eu sou uma pessoa feliz por natureza... por mais rasteiras que a vida tenha me dado, eu sempre tô sorrindo pq acredito que a vida é mais q tudo isso!
Lógico q qdo a gente fica só, pensando nas dificuldades e sofrimentos, bate aquela tristezinha básica... mas o importante é não se deixar abater e nem se deixar vencer!
A propósito, esse filme é bom?! ^^

Bjos...

Paty disse...

Pra mim, é uma luta diária... e a mais difícil.

Beijo Carol.

Mirtes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mirtes disse...

Conheci seu blog através de Elaine "Day by Day" minha irmã, e adorei tudo que vi aqui, agora estou te seguindo. Quando puder passa no meu cantinho.

Fica com Deus

Mirtes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Aracy Crespo disse...

Oi Carolina,

Felizmente a família Crespo tomou a liberdade de te seguir, sou a mãe de Elaine, adorei seu blog ele tem excelência por isso estou te seguindo. No meu cantinho costumo postar mensagens de fé e esperanças, se quiser visitar fique a vontade.

Grande abraço e Deus te proteja...

Elaine Crespo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Elaine Crespo disse...

Carol!

Estou passando isto mesmo que a protagonista do filme.Uma tristeza agarrada em mim e que não me larga. Estou até tratando com um psiquiatra.

Mais faz parte da vida! Fazer o que?

Belo post e um ótimo conselho!!

Belo dia!

Beijos
Elaine

Desculpa o errinho ! Apaguei uma postagem!:(

feriadoantecipado disse...

bah, essa história de tristeza é complicada mesmo...ela te faz encolher, entra e faz um reviravolta em tudo por dentro...tem q tomar cuidado com isso, vamos nos precaver, muita música, comidas gostosas e muitos amigos!!!

Monica Loureiro disse...

Existem dias que a tristeza agarra em mim e é difícil jogar fora !

Desarranjo Sintético disse...

Seria quase que uma luta diária para conquistar todos os dias a felicidade, a cada instante e se deixar triste é mais cômodo, não requer tanto... Mas quando conquitamos a suposta felicidade, vemos que nossos esforços foram validos e que temos que seguir em frente....
... complicado ninguém disse que não era, mas que vale a pena, vale.

Abraços.


Verônica Elias