sábado, 23 de julho de 2011

Não seja dono disso



Abandonar é verbo?

Se sim, pra mim é complicado de conjugar

Não dá, é difícil

Vivenciar o ato de abandono, pior ainda

Se é tudo uma questão de posse ou de saudade ou de carência, sei lá

Não é coisa pra mim.

Não tenho esta elevação da alma

Este desapego físico

O caráter ainda é faminto

A sede ainda é forte

E dentro de mim a devassidão faz sala e quarto no conjugado da miséria espiritual

Se isto quer dizer que é preciso desaprender a segurar as pessoas, que tudo passa e todos são transeuntes na vida da gente

Ainda não elaborei o processo

Porque as quero aqui, agora e pra sempre

Porque permaneço repetindo que abandono eu não sei conjugar, menos ainda ...vivenciar.

8 comentários:

Meire disse...

Carolina, que lindo post, estava eu mastigando algo parecido com abandono aqui e me caiu uma luva esse texto! Quem sabe um dia num aprendo a conjugar esse danado desse verbo.

bjokitas com carinho pra ti :)

Elaine Crespo disse...

Carolina!

Saudade de voc~e!

Teus posts sempre perfeitos e hoje me identifico muito com ele.
E ainda te digo que o pior abandono é aquele em que a pessoa continua contigo mas afastada plenamente.

Bem eu também tenho me acostumar com este verbo.

Uma linda semana!!

Beijos!!

Elaine Crespo

Eloah disse...

Carolina, também não sei conjugar este verbo.O apego é o meu forte , ou a minha fraqueza, depende do ponto de vista.Conservar é o verbo que mais conjugo. Um dia aprendo a libertar minha alma.Bjs querida.Amei.

Natália disse...

Amei....n sei se abandonei ou fui abandonada pelo amor da minha vida, ainda vou descobrir....

Babi Mello disse...

Carol, mandando sempre bem nos textos e se sentir abandonada é horrível e aprender e entender esse sentimento é um longo processo.
Bjos e boa semana pra vc.

VaneZa disse...

Abandonar coisas eu até sei... mas algumas pessoas, não dá. O pior que têm certos casos... certas pessoas...que o certo seria abandoná-las para sempre e não olhar para trás... mas cadê que eu consigo. Quem me dera saber conjugar esse verbo.

BeijoZzz

Lili Tormin disse...

Alguns pregam a "arte do desapego", nunca entendi tal façanha... é como diz querida Carol, não sei conjugar.
As mudanças territoriais já me foram tantas, mas carrego tudo e todos... em uma grande bagagem de mão, que trago junto ao peito!

Saudades da prosa e do aromático café, que sempre me faz voltar!

Beijos

Elaine Crespo disse...

Oi Carolina!

Estou bem! Só excluir o orkut e o facebook para fazer uma limpesa ! Só vou adicionar os amigos. Tinha muito gringo!(risos).

Volto assim que os meus filhos voltarem da Europa.

Saudades!!

Um lingo dia sempre!

Beijos,
Elaine Crespo