quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Não ao PAC!



Personagem do desenho A Corrida Maluca

“Adorei seu post, mas como era muito longo não deu pra ler inteiro, mas deixei um coment,tá?”
mensagem que recebi no MSN de alguém do planeta Nonsense que fez uma visita ao Café e Papo.rs

Outro dia estava num dos meus santuários curtindo várias leituras e ouvindo música, na livraria Cultura, quando ouço na minha frente um senhor dizendo assim: ‘- Olha Fulana, este livro deve ser bom, mas é muito grosso...’ Me deu vontade de emendar: - Grosso é quem, tu ou o livro? Mas como estava sem vontade de ser ácida naquele momento prazeroso, olhei para o livro que estava folheando e dei uma boa risada, como se fôssemos cúmplices do besteirol alheio.

Aquela velha frase “Devagar e sempre” já foi pro lixo. Hoje devagar e sempre chega atrasado! Concordo, precisamos ser polivalentes, multitarefeiros,  viver internamente a revolução tecnológica é sine qua non (sem o qual não pode ser). Em contrapartida há os que comem cru, pois na ânsia de não achar o caminho do meio, do equilíbrio, esbarram na própria ansiedade de viver o tudo aqui e agora e no fim da estrada se dão conta de que não viveram nada, somente ficaram a margem das oscilações do seu próprio self.

Passamos batido por coisas, mas relações e pessoas não contam no pacote de aceleramento de crescimento.

Outro dia uma amiga comentou que foi na nutricionista e a mesma lhe disse que descascasse a maçã, porque com a onda de agrotóxicos tinha que cuidar isto e blá blá blá. A minha acelerada amiga disse que seria impossível comer a tal fruta porque não podia parar para descascar uma fruta entre um projeto e outro no trabalho. Fiquei com cara de planta. Será que ela ainda tem um tempinho pra transar com o namorido e desfrutar um chopinho com os amigos? Que significado terá, para ela, a palavra mo-men-tos?

Nem a fruta estamos mais saboreando!
Perdemos o tesão pelos mínimos detalhes que fazem total diferença no resultado final.

Robôs que somos,  periga termos agendado no smartphone o dia e o horário para falar com aquela criatura que criamos e/ou geramos. O tal do filho. Sabe quem é?
Há os que tem agenda até para programar o fim de semana! Vade retro!

Sou acelerada, rapidinha em tudo o que faço.E como boa geminiana que sou faço várias coisas ao mesmo tempo. Minha mãe diz que além de ter nascido 10 dias antes do previsto, ela não teve tempo de chegar na sala de cirurgia, nasci no corredor do hospital. Quando meu pai terminou de fazer a baixa no hospital o médico já estava dando os parabéns. Até aí tudo bem é o meu jeito de existir e ser por estas bandas, mas a pergunta que não quer calar: estamos correndo para onde? Será que vamos parar ou melhor (ou pior), aonde nos levará toda esta maratona?

No desejo de otimizar com eficácia a administração do nosso tempo, negativamos fatos e relações valorosas.

14 comentários:

Babi Mello disse...

Nos tempo de hj Carol, as pessoas andam tão preocupadas com tantas coisas - besteiras - que se esquecem de viver a vida um pouco.

Adorei o seu humor com relação ao livro grosso, que babaca, preguiça de ler é de matar, ninguém merece, por isso que temos tantos analfabetos por ai, mesmo que saibam ler e escrever, não entendem o que é pior de tdo. Cultura e conhecimento é essencial.

E sobre descascar a maçã, fala sério! Deve ser viciada total em trabalho.

bj!

Dama de Cinzas disse...

Menina, tu leu meus pensamentos!!! eheheh

Eu estou amadurecendo um post sobre esse assunto...

Está tudo rápido demais, eu não sei se são as opções que aumentaram e todos ficam pulando de um lado pro outro, sem parar muito, sem focar, mas a verdade é que a correria tá geral!

Na internet então... Nossa! Quando escrevo um post fico lutando pra ser breve, nem tanto pelos que não vão ler o post se ele for longo, porque isso eu já convivo bem. O que me irrita mesmo é o pessoal que vê que o post é grande lê o início, tira as conclusões do que ele acha que eu escrevi e faz um enorme comentário me crucificando, enquanto que o que ele tá dizendo só ratifica o que escrevi, ou seja, ele tá concordando comigo e nem sabe disso.. Affe! Que raiva que me dá! Prefiro os preguiçosos que passam batidos... eheheh

Beijocas

adoroeponto disse...

Po, eu acho que sou bem acelerada. Mas consigo investir tempo em tudo que eu julgo precisar de tempo.

O mundo todo tá muito acelerado, é complicado parar. Mas também é necessário pensar, analisar e manter o equilíbrio. Nao adianta correr, se ainda não sabe pra onde quer ir, onde quer chegar.

beijos. ;*

Debor@h disse...

Carol, que menina rápida você heim haha vai ver tem maia de chegar na frente hahah. Mas brincadeiras a parte, aii que comentário bobo apesar de educado haha, que adianta deixar um comentário quando nem se quer se deu ao trabalho de ler o texto. E sobre o livro? Nossa, eu amo livros e leio por prazer sem contar o número de páginas e estou até mal por estar sem livro e sem tempo de ler e ir comprar um para ler nemq eu for aos poucos. Vou ir essa semana!
Temos que encontrar tempo para viver que é isso gente!!! hahha

Beijos carinhosos meus C@rol!! E pode escrever post do tamanhoq eu quiser que eu estarei auqi para te ler. Bjs :-D

Ana disse...

Oi moça, Feliz 2010 pra vc!
Putz, de certa forma escrevi sobre isso também. As pessoas estão deixando de lado os detalhes e isso é muito triste. Concordo plenamente com você, sabia?
De fato, temos que tomar cuidado senão nos tornamos robôs programáveis!
To numa vibe ótima esse ano, e espero que nós duas possamos discutir muitos detalhes que andam imperceptíveis por aí!
beijo grande,
Ana

Ana disse...

ps: tentei achar teu e-mail pra batermos um papo com café mas não encontrei. Anota meu msn: anasixfingers@hotmail.com
bacio

Dr. do absurdo disse...

A vida tá acelerada, tudo muito veloz, a gente acorda e logo já tá anoitecendo, mas parar pra viver os bons momentos, deveria ser palavra de ordem.

Quanto ao comentário no blog,que vc fala no começo do post. Sabe que eu tenho pavor a isso? putz, nem me dou ao trabalho de ver o blog da pessoa. Aliás, esse é um assunto que eu estou pra falar no meu blog.


Beijão

Vivi Rosada disse...

adorei seu humor frente as bizarrices que ouvimos por aí, e a frenetica busca de coisas rápidas, mtas vezes trocando o q eh importante pelo q eh urgente...
beijinhosss vivi

.ailton. disse...

Carolina, internet é sinônimo de tempo. Melhor: de não se perder tempo. Textos compridos, que levem tempo para ler, não prendem a atenção do leitor.

E, convenhamos, poucas pessoas conseguem escrever tão bem para prender a atenção de leitores em blogs. Você é uma delas. Parabéns.

Denise do Egito disse...

Carol

Percebo isso o tempo todo e, infelizmente, mais intensamente com os mais jovens. Eles estão tão "sem tempo" que nem param para ouvir o outro. É tão absurdo a velocidade que as pessoas tomam, que nem bem a gente começa a perguntar, eles já respondem.
Meu dia-a-dia é corrido, mas não chega a ser exaustivo. E quando chega o finde, quero fazer tudo de-va-gar, sem pressa...
Se não, a gente não vive. Só vê a vida passar...
Um beijo pra você e bom fim de semana

Bia disse...

Hoje em dia as pessoas "precisam" estar informadas de tudo, então um pouco de cada parece melhor que um único e delicioso livro... Mas concordo com vc...onde vamos parar? É aquela velha história, trabalhamos tanto que quando teremos $ pra gastar, não teremos mais como gastar pois estaremos velhos e cansados demais... PARABÉNS PELO BLOG, SHOW!

Bill Falcão disse...

Esse negócio de tempo é mesmo um "problema eterno", Carol! Conheço uma figura que diz nunca ter tempo de visitar os filhos, mas vai toda noite pro carteado.
Estranho, não?
Bjoooooooooo!!!!!!!!!

Monica Loureiro disse...

Adorei o Post, e a expressão "cara de planta"....

Nine disse...

Carol, estou voltando aos poucos, e com novas visões de mundo, depois do periodozinho sabático, e me identifiquei deveras com seu texto... entre tantos outros motivos, o último, sobre o sentido da correria, do porquê! Um dos livros que devorei nesse meu período de introspecção foi Maya, do Jostein Gaarder, que escreve romances filosóficos para adolescentes, mas que acredito que tem muito mais valor para os adultos apressadinhos e sem razão de viver, os atualíssimos "robôs". Essa leitura abriu caminhos nas minhas reflexões para questionar o que de importante eu ando fazendo (ou deixando de fazer), incluindo os detalhes... mudamos completamente a noção de prioridade na nossa listinha??? De onde viemos e pra onde vamos é profundo demais para perdermos tempo a pensar? O foco é trabalhar, ganhar dinheiro, trabalhar... pra quando nos aposentarmos, tirar aquela conclusão certeira de que estamos tão acabamos que nem temos como aproveitar os ditos acúmulos do trabalho (ou os frutos, como queiram). E encurtando, pq já percebi que vou longe... rsrsrs, será que as pessoas não se dão conta que estão deixando coisas maravilhosas pra trás?? Tipo, já que não sabemos pra onde estamos indo, será que não é melhor curtir ao máximo as coisas boas que temos por perto (leia-se: família, amigos, amores, bichinhos fofos de estimação, lugares lindos, nosso cantinho aconchegante, bom livro, boa música ou descascar uma maça longe do burburinho do escritório)?

Amiga, tô ferrada, rsrs, não consigo parar de refletir até sobre a escada do prédio: será que é grave?

Beijinhossssssss mil