sábado, 25 de dezembro de 2010

Lembrar, verbo no passado.

Vanitease

Natal é família
É tecido com retalhos de momentos entre a nossa gente,
 o nosso sangue,os mais queridos eleitos pelo laços familiares.
Lembranças, sentimentos, cheiros.
Cheiro de peru, de docinhos, de champagne e suas bolinhas explodindo na boca, cheiro de gente cheirosa. Cheiro de confraternização.
Eu adoro cheiros, eles me transportam para lugares, evocam lembranças e sensações. Aproxima de mim pessoas por vezes tão distantes.
Nos natais da minha infância sempre tinha o saco do perfume secreto. Todos os anos o Tio Rui, depois de abertos os presentes, trazia para sala um saco cheio de perfumes para que cada mulher da família enfiasse a mão e tirasse uma surpresa. E as meninas também tinham direito de ter a sua surpresa. Eu aguardava ansiosa a minha vez para curtir em doses mínimas, no decorrer dos doze meses, aquele líquido mágico.
Acredito que vem daí o meu fascínio até hoje por perfumes.
Esta uma das muitas lembranças doces dos meus natais infantis.
Qual é a sua lembrança preferida?


foto de Lisa Edsalv


6 comentários:

Franck disse...

Adoro o cheio de pão assando, terra molhada, grama cortada...até hoje qdo sinto esses cheiros sou remetido a infância!
Bjs*

Nine disse...

Carol... Feliz Natal pra ti e toda tua família!!! (atrasadinho, né)

Minhas lembranças são várias... mas a que mais marcou é quando morava bem no interior próximo de uma prainha de rio, que pra chegar até ela tinhamos que caminhar por uma estradinha longa e estreita... No natal meu tio sempre levava as crianças (e eu era a primeira) pra caminhar por essa estradinha, enquanto caminhávamos, ele mostrava as estrelas do céu, e ia contando histórias de natal, dos reis magos, do nascimento de Jesus, e mostrando os desenhos formados pelas estrelas, conforme a historia (e a gente sempre encontrava esses desenhos. Na volta, nos reuníamos perto de uma carreta esperando o papai-noel, e saíamos com ele para distribuir presentes para as crianças vizinhas que tinham menos condições... fora as canções de natal que soavam no toca-discos, um disco de vinil da Philips, até hoje sei cantar as músicas de cor!!!

Tempos tão bons, tão puros... saudade imensa! Hj é tudo tão plástico, tão superficial...

Beijokas mil!!!!

Heloísa disse...

Carolina,
Espero que você tenha vivido bem o Natal desse ano, e que 2011 lhe traga muitas alegrias e realizações.

Achei o máximo a ideia dos perfumes, do seu tio. Deixou ótimas lembranças, não.

Bjs.

Dama de Cinzas disse...

Lembro dos natais da minha infância, eram muito pobres, mas tão legais, tão cheio de gente que eu gostava em volta... Acho que por isso fiquei com impressão boa dessa época até hoje. Mesmo que hoje não seja nada assim... rs

Beijocas

Sara disse...

Oi Carol!!!
Desejo para você um 2011 de Amor, Saúde e Harmonia.
Um grande Abraço.
* ah...o livro é ótimo é romance espírita "corações sem destino"

Valéria Martins disse...

Eu adoro Natal, gosto muito mais que o Ano Novo. Uma lembrança bem querida? O primeiro Natal da minha filha Clarissa, em que eu fui à Saara (região de comércio bem popular do Rio) e comprei um monte de brinquedos baratinhos para ela, a árvore ficou cheia e ela, bem feliz!

Grande beijo, querida Carolina. Obrigada pela leitura do blog, pelos comentários carinhosos. Tudo de bom para você e sua família em 2011!