domingo, 27 de novembro de 2011

Rei coração e a Rainha Memória

Está se aproximando.
Logo logo será aberta a temporada do ano de choros mais emocionados, de abraços mais calorosos, de coração mais terno, de sorrisos mais leves, de trégua nas brigas, de recordações, de saudades mais doídas e de lembranças. Ah e claro, de voluntariado forte e pontual, esta ação importante, mas lamentavelmente feita por alguns somente neste período do ano. O exercício da empatia e da solidariedade deveria constar na cartilha das coisas básicas a serem transmitidas de pais para filhos. Atitudes que aprendemos vendo o exemplo dentro da nossa casa. As boas ações iniciam dentro delas e não na campanha da televisão ou da escola.
Do vizinho mala que você, num ataque de pelanca (e mesquinharia), apressa o passo ao avistar quando dobra a esquina, na maratona pra pegar antes dele o elevador até o desafeto profissional que você torce para arranjar um emprego na China. Toleramos, descontamos as suas loucuras e relevamos suas chatices. Periga até cair em si sorrindo aquele sorriso lambuzado de meiguice pro Ronaldinho gaúcho, na telinha, mesmo sendo um fanático gremista. Credo! Doce e açucarado Panetone Dezembro.
Enfim, mês de sentimos nobres.Parece liquidação, se passar de dezembro não adianta que não haverá desconto ou melhor,ternuras. 
É assim, mesmo que você venha me dizer que se deprime no Natal e eu acredito nisto, porque quem já teve perdas próximas, sente mais ainda neste mês. E mesmo que não tenha perdido ninguém, simplesmente sem precisar catalogar e conceituar acha triste este período. Sim, todos de alguma forma ficam mais suscetíveis as coisas do coração.
Neste mês o coração é o rei e a rainha é a memória. Você é um mero consorte a serviço de.
Não existe escapatória, mesmo que você seja cínico, ácido, debochado, escrachado, pessimista e o escambau. Mesmo que você seja ateu, agnóstico, ou de alguma religião/crença que não comemore o Natal, vai acontecer um momento inevitável e mágico  que tocará sua alma. Mesmo que você esconda de mim, sapateie ou faça juras de morte, não negue. Não negue para você, por você e somente com você.
Esta mobilização universal mexe naquela membrana que envolve a nossa mente, a nossa alma e o nosso coração. Aquilo que nos embalou junto com tantos outros fatores e nos trouxe também até aqui. A nossa memória. As nossas lembranças. Aquela caixinha cheia de recortes escondida, às vezes até de nós mesmos, nos  registros de cheiros, imagens, passagens e sons de um período que todos passamos e que quando ativado nos faz recordar de doçura nas  nossas vidas. Períodos de esperanças e alegrias.
Alerta o cérebro, sensibiliza o coração e traz de volta aquela criança que ainda mora dentro de nós ativada  por lembranças recheadas de um passado logo ali, nem perto nem longe, presente em nós. Avivada a lembrança, a memória trata de fazer conexão com o coração e com o cérebro e a emoção se instala.  E mesmo que não tenha sido uma infância de Fantástica Fábrica de Chocolate com certeza tinha a leveza que somente os pequenos têm o privilégio de ter, a leveza de quem carrega dentro de si sem se dar conta infinitas possibilidades de um futuro distante e cheio de sonhos e fantasias.  
Portanto mais do que normal, negado ou confirmado, escondido ou escancarado, concordarmos que o mês de dezembro é diferente. Ou seria mágico?


4 comentários:

Dama de Cinzas disse...

É verdade, Carolina! Dezembro tem o poder de nos fazer repensar a vida. Para mim que já repenso sempre, nessa época então minha cabeça ferve.

O bom é que esse dezembro de 2011 o saldo vai ser positivo, diferente do mesmo período no ano passado, em que estava numa bruta depressão por conta da minha primeira cirurgia.

Beijocas

Heloísa disse...

Carolina,
Eu acho que o mês de dezembro realmente é diferente, porque nos leva a questionamentos como esses do seu post.
Faz com que pensemos mais em amizades, em solidariedade.
E, por ser o último do ano, nos provoca um balanço da vida.
Enfim, é mesmo diferente.
Beijos.

Simples Assim disse...

QUe descoberta boa a minha, encontrar seu blog.
Texto muito bonito e verdadeiro. Concordo com tudo.Dezembro é um mês mágico onde essa magia permeia todas nossas ações.
Bj e boa semana,
Lylia

Eloah disse...

Querida que belo e verdadeiro texto! Mês de dezembro nos faz repensar o ano, os anos anteriores e a tomar decisões nem sempre realizáveis. Tem seus encantos porque saímos da nossa rotina e praticamos bem mais a solidariedade.
Que venha esta época com suas controvérsias!Vivê-la com o melhor que possa nos oferecer será a nossa opção.Minha amiga, dias lindos para você.Bjs Eloah