domingo, 24 de junho de 2012

A revanche no formato de um doce café


Ela foi etiquetada como golpista, amargou em doses cavalares deste café amargo por muito tempo, uma vez injustiçada e rotulada como  pessoa  interesseira e banida de vez daquela sociedade secreta cujos membros eram apenas pessoas  autistas de caráter, orbitando envolta de seus umbigos. O maior prejudicado? O  fruto desta pseudo relação ( se assim pudermos definir aquele ocorrido caso de alguns meses).
Essa pessoa foi com certeza a única lesada, por esta parte, pois de seu lado materno teve todos as formas de amor expressas e vividas, porém passado um breve período esta mãe e este pseudo-ausente-irresponsável-pai tornaram-se meros estranhos criando aí um abismo colossal.
Após longos anos este homem (ou fantasma?) retornou, com que propósito ela até hoje não soube decifrar: se foi impulsionado pela vaidade,curiosidade ou consciência pesada. O mais estranho foi perceber o quão torpe ele era ao pensar que vindo depois de anos, como num passe de mágica apagaria as lembranças nítidas do seu descaso e egoísmo. Como resgatar algo com alguém que nunca se teve nada para recuperar? Mãe ou filho? Novamente ela percebeu ali a sua vaidade mais forte do que sua boa ação. E mesquinho e vaidoso  como sempre, achou que chegando mais tarde não haveria elos entre mãe e pai nesta relação que iniciava com seu filho. Ela ficou de espectadora daquela figura repetitiva, vigilante quanto ao seu rebento e mediadora perante os dois.
Mas mal não houve ao observar de perto que este mesmo homem que prejudicou seu filho durante anos em doses de descaso e indiferença por culpa de um suposto interesse em golpear seu baú (que antigo isto, me senti na era do Rei Arthur) era o mesmo homem que foi trapaceado, enganado e motivo de risada entre seus “amigos” pela mulher que ele escolhera para casar e que o largou por outro homem com MAIS dinheiro. Demorou para escolher a sua amada e foi logo escolher uma mulher fútil e interesseira, justamente os “atributos” que lhe foi designado no passado.Talvez  ele tenha visto ali alguém parecido com ele mesmo e sendo assim os afins se acham.
A vida realmente te faz engolir remédios amargos quando trata de fazê-lo deglutir os próprios julgamentos e condenações.
Ela, a mãe, se sentiu tranqüila ao perceber que não precisou vir de sua mão a receita desta medicação.
A revanche pode ser um café doce, tomado em goles de pura doçura (ou  travessura?)

8 comentários:

VaneZa disse...

Nossa! Que história! O castigo sempre vem, mais cedo ou mais tarde. Quando menos se espera tem nêgo pagando pelas merdas que faz. O engraçado é que quando eles pagam não entendem o motivo pelo qual estão sendo castigados. Ô povo santo!

BeijoZZZ

Carolina disse...

Pior, Vaneza que é isto mesmo! De tão sem caráter e valores o cara volta e não entende o que fez, ou seja, não cresceu, não amadureceu e ainda acha que está fazendo uma boa ação.
Falou tudo!
Tem gente que passa a vida inteira na estrada e mesmo asism não aprende qual o caminho certo. Affe... haja encarnações pra aprimorar o espírito! Deusmelivre, viu?
Beijo e saudades de ti!!!

Carolina disse...

Pior, Vaneza que é isto mesmo! De tão sem caráter e valores o cara volta e não entende o que fez, ou seja, não cresceu, não amadureceu e ainda acha que está fazendo uma boa ação.
Falou tudo!
Tem gente que passa a vida inteira na estrada e mesmo asism não aprende qual o caminho certo. Affe... haja encarnações pra aprimorar o espírito! Deusmelivre, viu?
Beijo e saudades de ti!!!

Eloah disse...

A vida é movimento.O que se dá recebe-se de volta.Isto é certo e as histórias estão ai para comprovar.
Desta forma todo cuidado é pouco.
O Texto nos deu oportunidade de uma bela e importante reflexão.Bjs Eloah

Dri Andrade disse...

Ahhh mas eu tenho certeza disso. Não dá pra pagar mau com o mau. A palavra doce abranda o furor, assim como a postura, o olhar e a ação doce tbm...

bem reflexivo hoje hen!

Um beijo leite do meu café e amiga!!

Dog disse...

Gostei do seu blog!!!
Muito interessante e uma boa leitura!!


Doguinha
www.facebook.com/the2dogs
www.the2dogs.blogspot.com.br

Eloah disse...

Na vida é assim, cedo o tarde vem o retorno.Pode vir em pequenas doses, ou numa só dose.A doçura está no silêncio da constatação.
Tenhas uma bela semana.Bjs eloah

veadinhonapista disse...

Que boa história! E, sim! Admitir os erros, assumir-se pra si mesmo, esse sim é o pior dos remédios. É, como diria o Sr. Darling, "É um remédio abominável. É daquele tipo doce, grudento, nojento."
Talvez a coisa mais difícil de se fazer. Afinal, quem gosta de provar do próprio veneno?