sábado, 11 de setembro de 2010

Dois pesos, duas medidas?



Então tá.
Tá na hora de crescer, afinal a sua bagagem está tomada de vivências, não está dando nem pra fechar a mala. Precisamos,  literalmente, sentar em cima. E que venha mais.
Você já se experimentou bastante nesta louca viagem chamada vida. Se a sua vida não foi recheada de altos e baixos, lamento porque você, com certeza perdeu o melhor da festa.
Já passou da infância, já deu Adeus (com dor, é claro) para adolescência, as pessoas já te mostraram o lado bom e também o lado negro da força. E continuam te mostrando, ainda bem. E você mostrando à elas.
Então vamos acordar pro lance? Vamos deixar de ser careta, porque é isto o que demonstramos ser quando rotulamos de cara um fato, uma pessoa, uma situação. E pra quem já foi adolescente um dia com toda as suas transgressões e rebeldia ainda permanece com o desejo em alerta (sentido pavor) de jamais ser um CA-RE-TA.
Porque povo, só quem é engessado, estático e um poço de idéias pré-concebidas pra ouvir conversa dos outros e acreditar de cara no que o bendito boca grande fala. Dar asas ou alimento a louco é o que mais tem nesta mundo nosso,vide as próximas eleições. Vade retro!
Precisamos exercitar a atitude que condiz com o ditado: toda história tem dois lados, toda moeda tem duas caras e blábláblá.
Precisamos boicotar os impulsivos que não usam de mapa psicológico para entender que primeiro ouvimos a informação (pra suavizar a palavra fofoca), captamos emoção, usamos a razão e o coração, aí então processamos a história. E de que lado penderá a nossa moeda.
É difícil ser justo?
(este texto não tem link nenhum com história nenhuma, é somente algo que tenho refletido muito)

E pra fechar o post, um som dos adolescentes de ontem. Da minha época, tá? rs


11 comentários:

VaneZa disse...

Recentemente andei pensando sobre isso... que toda história tem dois lado. E às vezes é difícl ficar do lado certo. Como saber?

AbraçoZzz

Debor@h disse...

Carol do céu, haha que delícia de post (como sempre né), eu viajo nas suas palavras, e este post me deu uma sensação deliciosa, voltei no passado, em todas essas fases que vc citou e que quase todos nós passamos um dia e ainda no final me deparo com o gostoso do Jon Bon Jovi (era fanática haha e já fui há uns 3 shows deles na minha adolescência haha) que eu amava e vi que o papai Bon continua lindo até de velho hahha, AMEI! Bjs!

Dama de Cinzas disse...

O problema de ouvir os dois lados é que sempre temos nossas preferências, tomamos partido imediatamente quando a situação nos é apresentada. Mas cabe a nós, seres inteligentes, tentarmos verificar a veracidade de tudo, mesmo com nossas preferências iniciais...

Beijocas

Dalva disse...

Adoro Bon Jovi! Gosto dos teus escritos... viajo!

Bjs.

Babi Mello disse...

Carol,

Depois de ver o filme Nosso Lar, começei a refletir mais ainda sobre minha vida e sobre os meus atos e o seu texto me remeteu novamente a este pensamento. Dois lados: o bom e o mal.
E a decepção qdo nos deparamos com o lado negro da força de pessoas que cultivamos em nossa vida.

Ah! nunca reparei as mãos rudes das meninas, mas se vc esta falando, tá falado.
bjocas!

Dri Andrade disse...

A-D-O-R-E-I SEU TEXTO, PERFEITO,QUASE ME VI NESSAS LINHAS.
BEIJOS LINDONA

Janaina F. disse...

Carol, obrigada querida por ter deixado seu recado no meu blog! Seja muito bem-vinda e te espero mais vezes por lá. Já sou sua seguidora, estarei sempre por aqui!

beijos!

Janaina

Bill Falcão disse...

É preciso manter a rebeldia adolescente!
Bjoo!!

PS: tira o verificador de palavras. Veja como em meu post "Lennon e o verificador de palavras".

Renato Hemesath disse...

Oi Carol.

Ah gostei da estrutura deste post! fala de coisas que normalmente não gostamos de ouvir e as vezes nem de escrever a respeito. O interessante é pensar no quanto o sujeito se deixa levar e envolve pela astúcia da linguagem e do significante... o quanto (e nessas épocas super principalmente) a fala exerce sua função de poder e convencimento. Logo é o seguinte: convencidos = silenciados e mudos... reina o desejo do outro. Me lembrei do filme "A Onda" de 1981.

Ótima sexta-feira prá ti.
Beijos

---------------------------
Cine Freud no Twitter:
@cinefreud_

Renato Hemesath disse...

Ah eu ainda não li "Precisamos falar sobre Kevin"... mas vou procurá-lo!

Obrigado pela recomendação!

Ives disse...

olá, adorei o seu blog, se me permitira estarei sempre por aqui abraços