domingo, 3 de outubro de 2010

Quando ela topa de cara.


“Todos os caras que dei na primeira vez acabei tendo algo mais, um namoro, um romance legal, um casório. Os que fiz docinho e joguei, não deu em nada!" Esta foi a fala de uma colega um dia desses.

Não acho que tenha regras, mas que neste quesito os homens continuam criteriosos, sim! Cheios de listas inconscientes do que pode ou não pode.
Conheço vários caras que bancam os modernos, contemporâneos, mas quando se vêem numa situação desta correm (depois do ato claro) para os seus gráficos neanderthais para conceituar a garota que passou aquela louca noite com eles. Isto já é automático. A constatação que são os homens jovens que vejo agindo assim causa desconforto e surpresa.

- Ah Carol, mas homem pode, né? – fazendo referência a um suposto caso,onde o cara era casado e garota era a namorada do melhor amigo dele. Esta observação quase estourou os meus tímpanos, de um homem que, com certeza, pegou um atalho das cavernas e parou aqui no século 21. E pasmem, um homem jovem que já nasceu em tempos de igualdade.
Pressupõe-se que os “antigos” sejam mais caretas. Não, os mais velhos talvez estejam mais resolvidos. Há uma longa ponte separando as estradas dos resolvidos e caretas.

Não existe regra, quando caímos na cama direto com alguém de primeira o que queremos é diversão, se depois vai rolar algo aí já é outra história. È o imediatismo da sensação. Se bem que acredito que na hora do jogo de carícias, beijos e tensão, o depois nem cogitamos. É algo tão remoto como traçar uma linha no mapa do Chuí para o Tocantins.

Não temos búzios, nem bola de cristal para saber o que vai rolar. E se vai rolar. Talvez não é o nosso objetivo, talvez tenha sido o momento que fez aquele clima acontecer. Talvez a necessidade carnal ou espiritual. Vai saber o que te levou ao emaranhado de pernas e suor junto àquela pessoa naquele momento. O tempo não conta nesta matemática. Se foi de primeira que rolou, se foi depois de meses,se foi uma semana. Vai saber o que te levou àquele momento, além da vontade e do prazer. Tudo é feito de energia pura, tesão misturado com tensão. Vai saber que resultado sairá. Se tiver algum resultado.

Talvez você saia desconfortável desta ação, talvez não. Se for consciente e com responsabilidade com você mesmo a margem de risco é mínima. O que prevalece é a auto-preservação, não importando de que forma você a conceitualizar. Isto é particular, íntimo, privado. Seu.

Conheço um casal que se ama loucamente e vivem junto faz 10 anos e a relação não terminou, mas começou na cama.
Tenho um amigo que diz que a melhor transa da vida dele foi com uma garota uma vez só. E não foi porque ela não quis que não se viram mais. Não rolou.
Depende do que as duas partes querem e de como a coisa acontece.

Já foi bom chegar logo no X da questão e já foi esquisito. Quem já não viveu isto e saiu com a certeza de que isto nunca mais vai acontecer? Ilusão.

De certo somente sabemos que cada história se desenrola conforme os atores principais e seus objetivos em cena. Se o que você quer é uma boa transa e nada mais, talvez numa transa de primeira isso vai rolar e ponto. Satisfação total. Se depois desta satisfação mútua, a relação continuar é um tiro no escuro. Mas quem já não esperou pra acontecer e depois não deu em nada? E quem não esperou nada e foi surpreendido?

Sexo é bom. Sexo com entrosamento e intimidade melhor ainda.
E nada disto depende do tempo.

O que você acha?

12 comentários:

Franck disse...

Acho que vc deve jogar o tarô...eu joguei! (brincadeira)
Uma boa semana! bj*

Debor@h disse...

Oi Carol, acho que não existem regras para esses casos, pode ou não rolar algo depois. Já passei pelos dois casos e cada um é diferente, o que importa mesmo é fazer o que se tem vontade, sem pensar e analisar demais a situação, mas fazer com consciência e se proteger, sempre! Beijos!!!!

Dama de Cinzas disse...

Muito bom seu texto! Os caras vivem realmente com várias listas na cabeça do que a mulher deve ou não deve fazer pra merecer que sejam escolhidas...

Dia desses uma menina disse que o cara confessou que se aproximou dela numa casa noturna, porque reparou que ela não ficava olhando pros rapazes...

Se um cara diz isso pra mim ele já tem pontos a menos. Por que eu não teria direito de olhar os homens?

Sinceramente não entendo isso, não sou tão jovenzinha, já vi a sociedade mudar, mas sinceramente, as aparências mudam mais que a cabeça das pessoas. O Brasil continua um país extremamente machista, um país que se eu pudesse sairía daqui, não é um lugar legal pra mulheres viver. Aqui mulher tem que provar que tem valor, acho isso rídiculo!

No mais acho que é bem o que disse mesmo. Essa coisa de dar no primeiro encontro, não significa que o relacionamento não vai dar certo. Eu se estou com dúvida com o cara, dou logo, porque se ele tiver que sumir, que suma no ínicio... ehehe

Realmente tem uma parte dos homens que tem prazer em levar a mulher pra cama e descartar. Mas sinceramente esse grupo não tem se criado muito comigo... rs

Beijocas

Dalva disse...

Concordo, Carol, depende do momento... e não do tempo!

Bjs.

Elaine Crespo disse...

Oi Carol!

Como sempre maravilhosos os teus posts!!
Realmente não existem regras quando rola sentimento, regras e prazer!
Adorei mesmo, nunca devemos nos aprisionar em nenhum tipo de regra. Depois do câncer eu vi que a vida é pra ser vivida , e o momento é agora. Não querendo dizer com isto que responsabilidade em cada atitude não é essencial.

Uma linda terça-feira!

Um beijo!
Elaine Crespo

Janaina F. disse...

No amor e no sexo não existem regras... não adianta fazer jogo na hora do sexo achando que isso vai fazer você ter o respeito da pessoa. Se tem vontade, faça! Melhor se arrepender do que deixou de fazer e ficou na vontade! Sexo e amor não depende das atitudes, é química, sentimento, é coração que palpita. Não se se escolhe, invariavelmente acontece... obrigada pelo comentário no meu blog! adorei... beijos!!!

Sentimentalidades-Todas disse...

De fato, o tempo não é senhor no reino do prazer.
Bom mesmo é ser copngruente com seus desejos e sentimentos... e ser feliz. Sempre.

Estava com saudades de ti, moça!

bjs
Mônica

Ana disse...

"quando se vêem numa situação desta correm (depois do ato claro) para os seus gráficos neanderthais" hahaha adorei essa frase. e o texto como um todo. Também acho que não há regra, o que garante a felicidade é o respeito, o entrosamento, o diálogo, etc e tal
Oi moça, tudo bem?
Estou um pouco sumida, mas é por conta do casório. Vou tentar passar aqui por mais vezes.
Um beijo,

LUFE disse...

Carol,

Estou vindo pela primeira vez te visitar a adorei o post.
Não tem essa de regras, as vezes doce demais até atrapalha, perde o clima.
Pelo que observo, o homem não valoriza a mulher que já cai no colo do tipo "tou facinha, facinha".
Da mesma forma que mulher não releva o cara que ela percebe só estar afim de transar. Ela pode até ir se estiver afim de sexo, mas ela sabe que não rola mais nada. Não hesiste mais diferença entre os sexos neste aspecto, ainda bem.
Pra ser legal, tem que rolar um clima, ele é essencial. O dia seguinte, quem sabe?
Não é por dar de cara que não vai dar certo.

bjo

LUFE disse...

Carol,

Voltei pra te dizer que fiquei feliz com sua ida ao buteco... que surpresa.
Pode preparar o capuccino que estarei de volta, o papo aqui é bom, a casa é acolhedora, com assuntos interessantes e bons de se comentar
Apareça mais por lá tambem...a gente troca figurinha...

bjos

Bill Falcão disse...

Sou das antigas, ou seja, dos não caretas de quem você fala. Resumindo: concordo mais com você do que com a "política correta" de hoje, que não entendo bulhufas.
Bjoo!!!

Maycon Aguiar disse...

Taí, o ser humano é sempre uma incógnita, não é? Ódio, amor, sexo... é cada sentimentozinho bipolar, cada momento sutil que se apresenta como oportunidade tentadora... Cade a nós, claro, avaliar e, lógico, apostar. que não vale é ter medo de perder, sempre.

Um abraço!