domingo, 9 de janeiro de 2011

Esta Senhora nos olha, de algum lugar...

Esta Senhora, maldita senhora.
A morte não pede carona, vem dirigindo o seu possante escuro, tomada de fúria. Abre a porta no meio do nada e nos engolfa, sem pedir licença, sem nos dar chance. Nos abraça, aquele abraço sem calor, bafo gelado. Frio, medo. Nos arranca do tudo para o talvez nada.

Ela não fica à espreita, ela nos espera numa quebrada destas, de uma esquina qualquer de algum momento da nossa simples vida.
A morte não manda sms, não avisa pelo MSN, não deixa pista no twitter nem no facebook.
Ela dá as caras de cara mesmo. Audaciosa esta Senhora!
Chega chegando sem deixar nada em pé. Achaca, brutaliza, arrasa e destrói.

Um verdadeiro tsunami para os que ficam, um legítimo big bang familiar.
Interrompendo a história de quem vai. Ceifando de quem fica neste mar de interrogações e incertezas imediatas.

Ela nos olha de algum lugar e ela virá nos visitar.Não resta dúvidas sobre isto. Um dia ela vem certa como só ela é. É a maior certeza que temos. Um dia ela vai estacionar perto de nós. Inevitavelmente.

Ela, Senhora impiedosa, corta com uma adaga afiada o destino de quem ali for a sua vítima da hora. Não tem negociação, não tem barganha.

Pode passar os anos, posso experimentar muitas coisas, tentar com toda a minha vontade entender e estudar o que nos é reservado, já que nada é certo, portanto tudo é possível como já disse Margaret Drabble, mas ainda me abalo de forma arrasadora quando alguém próximo se vai.
Mesmo que digam que o caminho é de luz, ainda assim sofro e paraliso impressionada.

( Vai em paz, Débora.Que Deus te acompanhe.)

7 comentários:

Nine disse...

O incrível é que sempre pensamos que estamos preparados, que sabemos lidar com isso, que somos fortes, que não vamos chorar... e aí acontece, e desabamos de alguma forma, mais ou menos agressiva para nós, mas sentimos, com certeza! É aquela história: "tá na natureza do ser humano - achar que tem o controle, e logo depois se perder no próprio caminho".

Um beijo.

Dama de Cinzas disse...

Algumas pessoas, como eu, não tem muitos problemas em encarar a própria morte. Mas a morte de quem amamos é dura para todos, sem exceção.

Beijocas

Debor@h disse...

Te desejo força Carol e paz de espírito, pois a verdade é que a morte é avassaladora e dói, acho que nunca estamos prontos para ela
.
Eu ouvi uma vez uma frase que achei linda, a Morte é como um navio no oceano, qd estamos nos despedindo de alguém próximo deste lado choramos e ficamos tristes, o navio parte e depois já não o avistamos mais no mar, mas do outro lado este mesmo navio está chegando e entes queridos estão felizes a espera desta pessoa neste navio, enquanto que do outro lado choramos a sua partida. Já não vemos mais o navio na distância do mar, mas ele ainda está lá, chegando à algum lugar.

Beijos Carol querida!

VaneZa disse...

Acho que nunca nos acostumaremos a morte. Segundo algumas crenças nascemos com o desejjo de eternidade, por isso, a morte não faz parte dos nossos planos.

BeijoZZz

Debor@h disse...

Carol, tem selinho pra vc no meu blog, Bjs!!!

Denise Portes disse...

Carol,
Cheguei nos seu blog por indicação da Debora e já te sigo.
Força neste momento tão difícil.
Te convido para conhecer o meu blog:
www.odeliriodabruxa.blogspot.com
Um abraço
Denise

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Ai... esse assunto me deixa tão tristinha... Acho que não estamos preparados nunca pra receber essa visita.

Por isso, como eu disse e meu namorado ficou rindo:

É... a gente tem que viver enquanto está vivo...

As pessoas fazem tantos planos para o futuro como se esse fosse uma propriedade do ser humano. Acreditando em Deus ou não, tem alguém que decide nossa vida. E ai, só temos uma opção: viver ao máximo!

Beijos