domingo, 11 de setembro de 2011

Com ele. Voltando pra casa

Ela pulou da cama num movimento rápido. Silenciosamente enfiou o blusão grosso de lã, raspando a pele nua e delicada. Calçou as botas e foi em direção a escada. Não virou para olhar àquele que deixava emaranhado entre os lençóis.

A cada passo um pensamento: volta pra cama, segue adiante, volta pra cama, segue adiante...

A casa dormia. Todos, enroscados ou não em outro corpo, sonhavam suas intimidades e mistérios. Ouvia a respiração ritmada como canção leve. E ela sonhava acordada com o que antecipadamente previa. A expectativa e a excitação tomando conta do seu corpo. Tudo pulsava.

E assim de rompante, para aumentar a coragem, abriu as portas duplas da grande sala e deixou o vento da madrugada beijar sua face e dançar seus longos cabelos.

Lá fora o amanhecer iniciava. O vento, o frio e a neblina enfeitiçavam o seu corpo. Um chamado urgente sibilava os sons da mata logo ali. Um choro, um lamento. Um ir e um ficar, um risco e um prazer. Tudo misturado oxigenava a sua mente e seu corpo. Magia e feitiço. Sempre seria assim quando o assunto envolvia ele.

Seguiu adiante. O coração orientando o corpo, norteando a alma. Precisava seguir. Sabia que não tinha mais volta.

Adentrou o estábulo, o cheiro forte de madeira e cavalos entrando em seus poros. E com agilidade montou no cavalo amado. O bichano que era mais que um companheiro,cúmplice dos intermináveis momentos deles. Só deles. O segredo compartilhado, os gemidos ouvidos, as conversas e risadas, as trocas de olhares e de sensações ali expostas, nuas e cruas sem disfarces.

Virou em direção à mata cerrada e quanto mais galopava mais firme se sentia. Este era seu destino, o seu momento. O que, com paciência, aguardou por um longo tempo.

Enquanto seguia pela trilha e irrompia a mata o cenário foi mudando e seu estado de espírito também. Estava em seu elemento. Amava aquela parte da floresta intocada. Ali vibrava as histórias não contadas.

Apeou.

De longe ouviu o piar de uma coruja. Prenúncio de que alguém se mexia entre as folhas.A sua espera.

Ela e o cavalo esticaram o corpo em posição de alerta. Esfregou o pescoço do animal com o nariz disfarçando o nervosismo e o desejo por aquele homem que chegava. O cavalo resfolegou e sacudiu as crinas, agitado em sintonia com o que sentia sua dona. Ela ouvia o coração martelando nos ouvidos, as pernas trêmulas, um filete de suor escorria pela suas costas sentindo as próximas horas de amor. O tempo parou, na escuridão e no silêncio. Era sempre assim quando ele estava por perto. Magnetizava o ambiente. Magia e feitiço. Tensão e tesão latente no ar. Somente ouvia o que emanava daquele ser.

Ouviu o baque seco dos passos pisando as folhas em sua direção. Passos determinados. Transmitiam urgência em encurtar a distância e a saudade. Imaginou àquelas longas pernas se movimentando, lembrando como se enroscavam nas suas... O cheiro másculo cada vez mais intenso daquela carne tão familiar e desejada, maculando a sua mata intocada.
Não virou, não precisava. Sabia o que viria a seguir.

Curto circuito no corpo, arrepio antecipado. Ele puxou seus cabelos e mordeu a sua nuca, o corpo grudado nas suas costas, moldado no seu. Traduzindo naquele ato o quanto ela era bem vinda e desejada. Ela não duvidava disso e de mais nada. Tudo era certeza, nada era jogo.

Virou lentamente e sem sair do abraço, perdendo-se nele, aconchegou-se mais ainda naquele corpo sólido e grande, ciente de que era só dela. Ele pressionou mais e ela gemeu de prazer. Ficaram assim, abraçados, quietos e tranqüilos. Prontos pra seguir adiante.

Ela devagar passou os dedos entre aqueles cabelos dourados e se perdeu naqueles olhos de céu.

Não falaram, não havia necessidade. Nada precisava ser dito.

Estavam em casa.

7 comentários:

Dama de Cinzas disse...

A coisa ficou boa... rsrs

Beijocas

VaneZa disse...

Não faz bem ler essas coisas... não faz. rs

Beijozzz

Eloah disse...

Perfeito momento!É de momentos perfeitos que enfeitamos nossa vida.Lindo querida! Amei.Uma semana encantada e recheada de inspiração.Bjs Eloah

Nine disse...

Carol, o que é isso????

Fiquei aqui esperando o próximo capítulo!!!
Mergulhei com tudo na história, viajei em cada linha... brilhante!!! Por um instante não sabia se estava lendo um livro ou o blog!

Beijo grande!!!!

cervejaerua disse...

Muito bom!!
Parabéns .. gostei das imagens ...

✿ chica disse...

Que coisa mais linda.Essa vontade, desejo de estarem juntos e agora, assim, se sentiam " em casa"!. LINDO e empolgante!beijos,chica

Dri Andrade disse...

Caroool QUERIDONA!
Eu que estava com saudades de ti. êita menina cheia das palavras bonitas pro meu lado rsrs..eu fico toda gabosa vindo de vc, viu???

Brigada mais uma vez e por lembrar de aparece lá sempre beijocas...