terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Doutora por alguns dias

Tem dias que advogo sem ter diploma, sem ser bacharel nem ter passado na prova do OAB.
Já ouvi comentários que errei na profissão, estas pessoas falam isto quando provam da minha defesa em alguns "casos duros". Talvez pelo dom da oratória, pelo raciocínio rápido e afiado, por confrontrar, por desacomodar, mas acima de tudo pro acreditar que o certo tem que prevalecer.

Fui criada para acreditar nas minhas idéias, para retroceder com sabedoria quando necessário e para perseverar sempre.

Nestes últimos dias passei por algumas provações, a peleia foi dura. Vamos dizer que combati entre forças beligerantes.
Vivi um momento angustiante com a vida escolar da minha filha, mas o resultado foi positivo.

Lutei muito até que entendessem onde queria chegar e percebessem que a minha defesa não era baseada num julgamento pessoal. Havia um  certo distanciamento na minha tese. Precisava ser ouvida, mas era fundamental que entendessem que o meu discurso era baseado em fatos contra os quais não há argumentos.

A coerência reinava em cada ponto e vírgula do meu laudo.

Percebi a presença de Deus perto de mim ( mais uma vez) e principalmente reconheci a bondade e a coerência em algumas pessoas especiais.

Mas o que mais marcou nestes dias de entrave, de embate, acima da confiança  no que eu acho certo, corro atrás e acredito, foi o poder de uma mãe. Na íntegra, na acepção literal da palavra.

A luta contínua de batalhar pelo justo para o seu filho. A dor que cala mais fundo quando o filho sofre e você entende que não pode arrancar as ervas daninhas. É preciso, no mínimo, mostrar o seu amor através do apoio moral, permanecer atento ao seu lado, ajudando-o a lidar com o sofrimento como combustível para não cair no veneno atraente que se apresenta em forma de amargura e pode trancafiar um coração a sete chaves. O máximo no meu caso era lutar e jamais recuei perante os obstáculos, só me dou por vencida quando não há solução. Aí jogo a toalha e sigo em frente. Reconheço com humildade e uso a estratégia de retirada sem pudor quando é inevitável, mas não travo perante o errado, o injusto.

Já conhecia a minha força, ela mostrou a face inúmeras vezes e a cada apresentação da mesma, volto mais energizada. Sei do espaço que alcança as minhas mãos, mas entendo muito do poder da minha força de vontade e da fé que me impulsiona quando reclamo por justiça.

Defendo as minhas causas e levanto bandeira quando sei que tenho razão. A minha fé no correto na fraqueja os meus passos. Sigo em frente sem hesitação, querendo revirar o mundo, mas acima do bem e do mal, acreditando que há espaço para a justiça entre os homens. Ainda.

Por isto, amigos, já não estou mais precisando do MSN do Papai Noel, pois o Pai maior já me deu a benção este ano. Hoje é Natal no meu coração!

Abençoados sejam todos que ainda lutam e não se acomodam perante as dificuldades da vida.

No caminho você pode encontrar montanhas ou pedrinhas, depende da sua força e fé naquilo que vê.

14 comentários:

Debor@h disse...

carol querida, comovente seu texto viu. Que bom que o mundo tem pessoas como você, forte, sincera, que sabe o que quer e corre atrás, que luta pelos seus direitos e os direitos daqueles que ama, que não desiste, Parabéns e toda sorte do mundo!!! e um Feliz Natal!!!

Dama de Cinzas disse...

Arrasou! Belo texto! Continue sempre assim!

Beijocas

Heloísa disse...

Carolina,
Que bom saber que você, lutando com suas próprias "garras", conseguiu o que queria.
Mãe é mãe. Demais!
Beijos.

Se puder, dê uma passadinha no meu blog.

Teórico disse...

É impressionante como a gente não tem a menor noção do tamanho de nossa força até quando precisamos usá-la, não é mesmo?

Minha avó que sempre diz, Deus só nos dá aquilo que Ele sabe que podemos suportar e eu acredito nisso embora muitas vezes a dor, me cega pelo caminho...

Um beijo e força ( ainda mais) e sim, vc errou de profissão!rs

Beijos

Rafael Castellar das Neves disse...

Gostei dos papos...bacana aqui!

Bjo...

Denise do Egito disse...

Carol,
Você é guerreira como eu e em se tratando de filhos, então, digo que sou mãe-leoa. Bom saber que tudo está bem que você não precisa mais do MSN do Papi Noel pq o Pai lhe estendeu a mão. Foi bonito isso. Nem todos declaram assim.
beijos e feliz Natal para toda a família
P.S. te mandei umas coisas pelo Gmail

adoroeponto disse...

"Abençoados sejam todos que ainda lutam e não se acomodam perante as dificuldades da vida".

E vamos que vamos!

Dalva disse...

Carolina

Que bom poder ouvir isso! São atitudes assim que fazem a vida valer a pena. Lutar pela justiça e ter coragem e fé para enfrentar as adversidades é prova maior de confiança em Deus, pois tudo concorre para o bem! Parabéns, super Mãe Leoa na defesa da prole!

Beijo imenso!

Nine disse...

Carol, que lindo! A força que a gente guarda a sete chaves, e que aflora quando justamente precisamos dela, né!!! Acredito que esse tipo de força, de fé que move as montanhas seja o milagre que muitos não querem enxergar. Pois a natureza do homem vai muito além do que pensamos que somos, e nossa alma é grandiosa demais, quando nos libertamos e deixamos o amor entrar, quando movemos nosso olhar adiante, sem medo de enfrentar as agruras da vida! Parabéns pelo exemplo, pela garra, pela coragem. Ainda não sou mãe, mas defendo igualmente qq situação que sinta ser injusta, e esse distanciamento de que vc falou, para podermos avaliar as situações, mesmo quando próximas a nós, é para poucos.

Um lindo Natal pra ti, pra tua família, com muita harmonia, muita fé e amor no coração!
Beijo carinhoso!!!

ஜSaraஜ disse...

Carol;
Desejo à você e à sua família um Natal Abençoado e um 2010 de muito Amor, Paz, Saúde e é claro, mais e mais posts seus...
Um bjo querida e fica com Deus!

Babi Mello disse...

Carol, Feliz Natal para você também e fico super feliz em saber que um dos pontos positivos para vc foi ter me conhecido e posso dizer o mesmo.
bjocas! Muita luz e que Deus te proteja sempre.

Lay. disse...

Carolinaa

Amei ver que vc sabe qual é o verdadeiro sentido do Natal.


Um Feliz natal!

beijos

Bill Falcão disse...

Espero que o seu Natal tenha sido melhor que o meu, Carol! Me deram um pernil estragado! ARGHH!
Bjooooooooo!!!!!!!!

Teórico disse...

Excelente 2010!!!
beijos