sábado, 3 de julho de 2010

Não tô entendendo - parte II


Sabe o que mais me irrita em tempos de Copa?
Brasileiro dando pitaco, se achando o rei da cocada preta do futebol. Ok, você vai dizer que faz parte. Temos liberdade de expressão e blá blá blá... Se penso logo existo, se existo faço julgamentos, se faço julgamentos é porque penso e se penso é porque vivo. E a bola vai girando no gramado da vida.

Vai lá jogar no meio da pressão do título, corre atrás da bola 90 minutos e executa todos os passes de forma exemplar para que chegue no gol. Pra isso não pode existir adversários, ok? Conclusão:  não é jogo, é a ilha da fantasia. E no meio tempo desta adrenalina fica quatro anos comandando uma equipe que faz sessenta jogos e perde somente seis, dá uma olhadinha pro time em jogo mata mata e sente o peso da responsabilidade a cada jogo. Gerir cabeças, seja em que tipo de equipe se tem na mão, exige autoridade e pulso firme. Mas respeito é importante em tudo na vida. Portanto respeito é bom e faz bem pros dentes da frente.Não é moleza! Moleza é sentar na frente da televisão, abrir uma cerveja e se achar o fodão (desculpa o palavrão, mas foi necessário aqui) do futebol, assistindo as idiotices de um monte de caras que só sabem passar informações, distorcidas e veladas, subestimando a inteligência dos outros. Porque quero saber se a maioria ali já foi jogar futebol, futebol mesmo ao invés de pelada com os amigos?

Como eu já disse, padre pra ser conselheiro matrimonial precisa primeiro casar.

Sabe o que nisto se traduz ? Na velha e já desbotada máxima: quem critica familiar, critica qualquer um. Esses somos nós, que nunca enaltecemos nada nosso. Sempre supervalorizando os nossos defeitos e aplaudindo a galinha do vizinho.

Quem mereceu voltar para casa não foi o Dunga e sua equipe. Foi o povo brasileiro e sua baixa auto-estima.

7 comentários:

Debor@h disse...

Ai Carol nem me diga, eu quase chorei aqui e olha que Israel toda estava torcendo pela gente. Brasileiro que mora fora na minha opiniaoda mais valor aonosso querido Brasil do que os que vivem ai e so reclamam ao inves de fazer algo, cospem no prato onde comem e depois falam mal. Adorei a frase que respeito e bom para os dentes da frente hahah amei! Bjs amiga!

Dama de Cinzas disse...

Mais uma vez, ótimo texto! Você deveria abrir essa seção "Não tô entendendo" no seu blog... eheheh...

Sobre pitaco em futebol é o que acho sobre tudo, o problema dos outros é sempre o mais fácil de resolver...

Beijocas

Jaque Gonchoroski ઇ‍ઉ disse...

É mais fácil criticar. Mas coloca neguinho no meio do fogo pra ver o que faz... Nisso ninguém pensa.

Beijos!

feriadoantecipado disse...

é, como disse a jaque criticar é fácil...a verdade é que as pessoas nunca estão contentes, nunca está bom o suficiente...e também é muito mais fácil apontar os erros alheios do que aceitar os próprios...reconhecer seus defeitos é evoluir...

bjo.

Babi Mello disse...

Caraca Carol, sabe vou ser bem sincera, essa tragédia da eliminação já estava anunciada, e não chorei nem nada, acho que no fundo sabia, que essa história acabaria desse jeito. Tenho que elogiar o seu texto, muito bom e não posso deixar de dizer que a nossa seleção não apresentou futebol para chegar a uma talvez final, quem merece e quem ainda continua e dificil é, mas infelimente o Brasil perdeu qdo não podia, e tdo que se construiu, foi destruido em 45 minutos.
bj!

Bill Falcão disse...

Muito bem, Carol!
A arrogância do torcedor brasileiro sempre me irritou. É como se não fosse preciso fazer a Copa. Bastava entregar a taça pro Brasil e pronto. Ninguém perdia tempo vendo uma Copa que já teria um vencedor anunciado.
Este ano, porém, fiquei satisfeito em ver que parte de nossa imprensa esportiva reduziu sua tradicional arrogância. Já não dizem mais que o Brasil deveria ganhar todas as Copas. Reconheceram que outros países também fazem boas seleções.
Claro, se assim não fosse, como a Itália seria tetra? E a Alemanha, que é tri?
Argentina e Uruguai ganharam duas vezes.
Tem brasileiro que acredita que só o povo daqui fica feliz e sofre com o futebol. Como se o resto do planeta fosse habitado por alienígenas que detestam futebol. Isso é o que eu acho mais impressionante, quando penso em Copa do Mundo.
Bjooo!!

Renato Hemesath disse...

Oi Carol!
Há quanto tempo não nos falamos, como vai tudo?
Tinha me esquecido de responder o teu comentário no post "mulher solteira procura", me desculpe.

Bom, apesar da 2ª versão que foi feita, segundo ditos, não-muito-boa, ainda considero a versão de 1992 super louvável. Adoro aquela história!

Sobre a copa, não via a hora que acabasse.
¬¬
Detesto essa época a cada quatro anos e acho uma palhaçada o falso patriotismo implícito em muitos grupos. Pensei que ai no RS a coisa fosse diferente, hehe.

Bjos!