segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Para curtir com seus botões

"eu enterro o que lamentei,
eu não me desgasto mais com o que é imutável,
meu olhar está voltado para o que ainda é possível!"
Ulrich Schaffer

Encontrei esta frase num FB bem bacana. Compartilho por aqui e encaro na maior humildade que apesar dos esforços ainda não consigo passar para a fase dos enterros. Em alguns casos quiçá para a missa de sétimo dia. Portanto permaneço em luto, sigo vestida de mortalha preta mesmo em alguns terrenos (digamos que movediços) da minha vida. O exercício é diário e não desisto fácil na ação de sublimar.

Mas aprendi a não me desgastar com o que é supérfluo e diferenciar o que é importante do fundamental e no meio disso curtir o prazer da forma mais literal possível. Correndo entre a poesia e a realidade sigo por caminhos verdadeiros, colhendo a delícia do que é pra mim e para os demais a verdadeira essência. Não desperdiço a minha inteligência com o desnecessário, já dizia Nietzsche.

E por fim o meu olhar é feito de fé. E onde existe a fé encontra-se a esperança. E ela é composta do desafio diário. Enquanto respiro existe possibilidades. Só existe o possível quando desafiamos o impossível.



5 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Enterrar o que a gente lamenta não é algo fácil, assim como perdoar, deixar de sentir raiva de alguém, passar por cima de mágoas. Mas a gente vai tentando, e a cada tentativa fica um pouquinho mais fácil.

Beijocas

Heloísa disse...

Carolina,
Gostei.
Tem que ser um exercício diário.
Beijo.

Ale Quejinho disse...

Oi, vim dar uma espiadinha como sempre. Pena q nem sempre consigo deixar comentários... Mas estou tentando!

Babi Mello disse...

Oi! Carol, como sempre precisa e verdadeira em suas palavras e enterrar certas coisas é complicado mesmo e é bem mentira qdo mta gente diz que superou determinadas coisas pq lá no fundo vc sabe que não é isso o que acontece.
Bjos e tenha uma ótima semana.

Pattr!cia disse...

Oi Carol!
Eu também tenho assuntos que não consegui chegar nem na missa do 7° dia. Luto diariamente para por um ponto final em algumas coisas, já que a virgula e a reticencia não estão bastando.
Concordo com a Dama, cada dia que a gente tenta vai ficando mais fácil. Tenho a meta de até o final do ano por um ponto final no assunto que mais me estressa.
E vamos que vamos.
Obrigada por ter prestigiado o texto da Dama lá no meu mundinho. Volte quando quiser!!!
Beijos, Patt