segunda-feira, 22 de setembro de 2008

No labirinto


Nossa vida amorosa, em alguns momentos, lembra um labirinto, daqueles de vidro, sabe?
As pessoas correm de um lado para o outro, quando se deparam com alguém do outro lado do vidro frente a frente, empacam, engessam e o pensamento bloqueia a ação e vem a inércia ou por impulso avançam se chocando contra o vidro, um obstáculo a transpor. Nestas horas muitos desistem, viram as costas enveredando por outros caminhos. Caminhos menos tortuosos. Será?
Entre uma caminhada e outra quando bate a dúvida de qual será a melhor saída, quando é necessário pensar em qual melhor caminho a seguir dobram a primeira esquina achando que é a resposta mais rápida para suas lógicas e conceitos pré definidos da melhor chegada ao fim do labirinto. Aquietam, ou se iludem de que assim acontece com o seu coração perturbado.
Há aqueles que martelam horas de pensamento a procura da melhor resposta de como sair do emaranhado de opções e acabam por esperar de mais e nada fazer e existe aqueles que na ânsia louca, na busca incessante do melhor caminho para chegar ao final libertador do labirinto se jogam em qualquer quebrada de esquina para encontrar vidros e estilhaços ou talvez um jardim suspenso na última estrada a caminho da saída. O que nos espera ao final da labirinto talvez recompense a caminhada. Ou não. Entre sinais e caminhos vejo aqueles que não querem realmente alcançar o tão esperado término da corrida, decerto que a estrada não está tão pavimentada.
Também tem aqueles que alcançam, com sucesso e fé, a porta de saída e são alimentados de infinita plenitude compensados pela batalha.
Vejo, na maioria dos caminhos pessoas perdidas, zonzas, tomadas de conceitos do que quer, mas sem projeto, planejamento e principalmente fé em levar adiante seus planos, tontas sem saber qual caminho a seguir, sem enxergar, na correria, aquele que passa também no corredor a procura da saída. Esbarram nos outros e não vêem o sujeito sem notar que juntos conseguem pensar mais, criar mais e talvez encontrar o final. Alguns sem saber pra onde ir e nem de onde vieram.
É somando que dividimos melhor, já disse alguém.
Todos a procura da saída, todos com um único objetivo: o amor. Artigo luxuoso que sonhamos desde que nascemos,mas que muitas vezes não conseguimos definir, objeto cobiçado, ambição de que assim sejamos completos e mais realizados, por que podemos ser o mais bem sucedido profissionalmente, mas se o coração não vai bem, o resto não vai bem.
Vejo cada vez mais pessoas reclamando da solidão, do individualismo, do viver só, mas quando ficam frente a frente com o produto tão desejado recuam, reclamam e colocam objeções para não vingar, não ir adiante. Aquelas mesmas pessoas que vivem a reclamar da sua solidão e da vontade de amar e ser amado.
Será que realmente querem o amor, será que dá mais prazer viver a procura, pelo simples desafio da aventura, do que realmente achar aquilo que dizem desejar.
Querem mesmo achar a saída ?
O que realmente existe corações covardes ou amores impossíveis?

18 comentários:

canseidexuxu disse...

Perfeito! Quantos reclamam que estão sozinhos, mas não fazem nada para realmente se entregar quando a oportunidade aparece? Muito bem colocado, às vezes é muito mais fácil reclamar e esperar do que se comprometer com o outro!

Beijos e boa semana!
Xu

ale disse...

Corações covardes. Aliás, muito boa essa definição.
Acho que as pessoas são muito orgulhosas e tem vergonha de demonstrar o que sentem. "Se fazem" demais! Bj!

jubliana. disse...

Sempre achei que o melhor a fazer é ser exatamente você. Frequentar lugares que você gosta e coversar com pessoas que fazem sua cbeça.

O máximo que vai acontecer se não rolar um amor, vai ser fazer varios amigos. Isso não é bom?

Essa história de opostos vai mais em filme. Na vida real queremos mesmo é algo que nos complete. Uma hora ele chega.

Camila disse...

Poxa, que texto legal!!! Tudo haver com o q estou vivendo agora...
Eu acho que falta coragem... Acho mesmo... Mas estou disposta a tentar! E estou tentado!!!

Beijinhos!!!

lobo do cerrado disse...

O medo - diferentemente da prudência - é o grande reponsável pelo ignorância e pela mediocriddade. Ele emperra o desenvolvimento pessoal e coletivo. Quanto menos se arrisca menos se avança em todos os campos da existência, a começar pelo relacionamento com as pessoas. Se há o temor de se aproximar, de se expor, porque pode machucar, nunca se estabelecerá um relacionamento verdadeiro e profundo, que valha a pena. Não arriscar o mergulho ou o vôo, é ficar só e só na superfície, no chão. Sábias palavras Carolina.

Menina de óculos disse...

Carollllllllllllll,

eu sou tão ingrata...tava te devendo visitas, mas finalmente eu apareci..

Ó.. tudo é um labirinto aqui na minha vida, mas num tem problema não. Um dia eu acho a saída.

Beijossss

Pâmela Berton disse...

"Vejo cada vez mais pessoas reclamando da solidão, do individualismo, do viver só, mas quando ficam frente a frente com o produto tão desejado recuam, reclamam e colocam objeções para não vingar, não ir adiante."
Concordo com você.
E existe ainda outro tipo de pessoa: aquela que nem tem coragem de entrar no labirinto porque não sabe o que pode encontrar e nem se conseguirá sair. Então, fica do lado de fora, sem viver de verdade, apenas vendo através das paredes de vidro oq ue os outros fazem, seus erros e acertos.
Espero não ser uma dessas pessoas. e espero conseguir sair do labirinto de mãos dadas com alguém que valha todo o esforço.
Beijos e boa semana!

Denise do Egito disse...

Carolina, acho que existe tanto os covardes como os desencontros da vida. Já encarei os dois. Mas acredito que no fundo, no fundo, todo mundo quer achar alguém especial e ser feliz.

Boa semana!

Talles Borges e Borges Moreira disse...

Te espero no meu flor, acabei de atualizar haha, recebi um email comico e postei la!dhri

Não Somos Apenas Rostinhos Bonitos disse...

Carol,
Não acreditamos em amores impossíveis...

Claudia disse...

Nossa,vou voltar aqui sempre,pq amei ler seus posts! |Vc escreve MUUUUUUiTO,mulher !

Olha,a uns dias atras estava pensando exatamente sobre o assunto do seu post.Nao sei com relaçao aos outros,mas em relaçao a minha pessoa,eu tenho um baita coraçao COvARDE de tudo,mas tao sedento de viver um amor real e sim,POSSIVel !!!!

Nao acredito que a fase de conquista e flerte seja um mero desafio que a pessoa tenha...E quando ganhe o premio,perca a graça....Acho que na realidade eh medo de se entregar e se machucar...
Um medo que acredito que eu tenha...E os amores sim,sao possiveis simmmm !! Somos nos,acredito eu,que complicamos por demais as situaçoes e nao simplificamos nossa vida....

pelo visto nao sao soh as mulheres que sao complicadas,todos somos,homens e mulheres...Complicados e inflexiveis,por isso o amor acaba se mostrando tao impossivel nos tempos de hj...

minha conturbada opiniao...

bjinhos

carolbiasucci disse...

prefiro os amores impossíveis. Nao existe coração covarde. :D

Valéria Martins disse...

Querida, essa é uma grande questão do ser humano!... Buscamos o amor incessantemente, mas o confundimos com outros sentimentos. Por exemplo, como diz a terapeuta Anna Sharp, "Entre três meses e três anos, toda paixão acaba". E aí, o que há por baixo da paixão? E o tempo, mata o amor? (ou a paixão)? Um casal que vive junto há 30 anos e discute todo dia se ama?
São perguntas sem resposta, ou melhor, quem ousa responder? Sei lá...
Só sei que acredito no amor e que é possível ser feliz ao lado de outra pessoa. Uma pessoa que me faça rir, com quem eu goste de conversar, cuja companhia seja leve e agradável. Vamos com fé! Bjs

Claudia disse...

Linda,brigadinha por ter passado pelo blog..

beijinhos no seu coraçao...

Talles Borges e Borges Moreira disse...

Amorr agora que fui parar para ler seu post acredita?
Olha só todos nós HOMENS em termo geral (HOMENS E MULHERES), somos complicados e complexos, uns até flexivel, muitas vezes somos orgulhosos e perdemos aquilo por orgulho, haha como vc mesmo definiu CORAÇÕES COVARDES, te espero no meu acabei de postar!

Dany disse...

Carolsita, saudades de vc, dos seus textos, do seu blog!!
Obrigada pelas palavras carinhosas na minha ausência! Vc é uma fofa...;)
Quanto ao seu post, o que posso dizer é que de experiências vividas, eu aprendi a trilhar meu caminho um dia de cada vez. Sem exigir demais, sem correr... simplesmente sigo caminhando, esperando que as coisas cheguem até mim e aí sim, começar a agir. Foi dessa forma, calma e serena que eu encontrei o meu grande amor... e assim sigo, na tentativa de ficar com ele logo, juntos de vez e pra sempre!!
Já tropecei em muitas pedras do meu caminho, mas jamais, em momento algum, fugi ou desviei do amor.... Ele é combustível que me alimenta e só amando, de todas as formas e maneiras, é que a gente é feliz nessa vida!
Bjos

Loira e Morena disse...

lindo texto...lindo mesmo!!!

beijocas da Loira

Loira e Morena disse...

Amores impossiveis?...
acho que sao mais é corações covardes mesmo!!!!!!!
voltarei sempre aqui..adorei mesmo!!.rs

Beijocas da loira