quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Sempre soube que ...


Marc Anthony revelou no site Contact Music que sempre soube que casaria com Jenifer Lopez. Há 12 anos, nos anos 90, ela foi apresentada à ele nos bastidores de uma peça que ele fazia na Broadway e ele disse: “ Vai ser minha mulher e ainda não sabes disso.”
Ela estranhou e demorou a reaproximar-se. Ele se achou péssimo por ter dito aquilo assim de sopetão, mas sabia que era uma verdade irrevogável.
Em 2004 eles casaram e estão juntos até hoje, com filhos, casa e tudo que consta na lista dos que dividem a mesma cama.

Como explicar este insight, esta luz que temos? Como entender esta antecipação do que vai acontecer? Este cheiro no ar de que já sei o que nós somos um para o outro, ou melhor, o que seremos.
Acontece de conhecermos pessoas que sabemos que há algo mais. Que há base embaixo do verniz desta relação. Não é somente verniz de uma relação de conveniências e interesses. Há unidade, núcleo.
É uma parceria, um encontro de almas, um entendimento que extrapola a razão. Que nem verbalizamos ou sintetizamos na maioria dos casos, somente rola de forma muita tranquila, porque não há jogo, vai fluindo.
Sensação de que - Cheguei, tô em casa! Ufa!
Sentimento de que finalmente estou aonde gostaria de estar ( naquele momento), um lugar bom e familiar após longa caminhada.
Não falo somente em opostos, falo em afins. Falo sobre amigos, parceiros profissionais , amores e todas as formas de laços sem propósito pré-definido.

Ressalto que não falo em eterno até que a morte nos separe ( imposto, obrigatório, acima do bem e do mal), falo sobre intensidade do momento e do tempo vivido com determinada pessoa. Mas isto dá um outro post. Vamos deixar na gaveta.

É o destino nos transformando em videntes.
Você já sentiu isto?

16 comentários:

adoroeponto disse...

Sou muito impulsiva e acho que por isso parei de confiar tanto nos meus insights assim.

Medo de errar. Sei lá.
msa ja tive alguns, que mesmo eu nao confiando, rolou. e eu sorri!

Debor@h disse...

Oi C@rol, eu já vivi algo assim :-D Meu namorado atual me disse que sabia que me encontraria, pois quando éramos mais jovens namoramos e éramos amigos. Depois perdemos o contato e eu mudei de país e nisso, mais de 10 anos se passaram e só depois de muito tempo que ele me encontrou, aí voltamos a amizade e daí começou a nossa relação colorida. Mas desde os tempos antigos eu sinto como que se já o conhecesse e ele sente o mesmo. Me disse que a primeira vez que me viu, como que sentiu um arrepio hahha E ambos sentimos que somos parte do outro, algo muito estranho que nunca senti antes. Antes mesmo de amar ele, quando ainda éramos amigos. Aiiiii que longoooo Desculpaaaaa ghaagga Enfim, beijos hahah

Denise do Egito disse...

Carol, querida. Sou péssima para estas coisas. Quando estava na faculdade, terminei um namoro. Falei pra mim mesma: a gente ainda vai voltar. Um ano depois voltamos e foi horrível. Antes eu tivesse seguido com minha vida. Foi um erro. E isso já aconteceu outras vezes. Então, tenho até medo dos meus insights Hahahaha. Nem sempre eles são positivos.
beijocas

Nine disse...

Nossa, Carol, que tudo esse post, menina!!!
Eu já vivi situações assim, com amigos e amores, e digo que quando isso acontece já sei que vai valer a pena e vai durar... é o tipico bate-pronto, amor a primeira vista, ou ainda aquela colega que acabou de chegar no teu setor, ainda nem foram apresentadas e parece que já se conhecem a anos, tipo irmãs separadas na maternidade???
Adoro sentir isso. E dou muito valor quando é assim. Amizades e amores que perduram. Minha melhor amiga e meu marido constam dessa listinha até hoje, ainda bem... rsrsrs.

Ah, e sobre minha (falta de) inspiração, é mais um momentinho treva, mas vai passar... hahaha! Beijinhos e obrigado pelo teu carinho!!!

Babi Mello disse...

Destino, o que saber sobre ele. Será que realmente sabemos o que vai acontecer em nossas vidas.
Nesse momento da minha vida... só quero tempo!
bj.

Paloma Flores disse...

Acho que sim, mas só em amizade, até agora.
Mas é reconfortante. Espíritas explicam como vidas passadas. Eu acho que é um encontro de almas, mesmo.
Algum poeta (que agora eu não me lembro, uma pena) diz que "os encontros mais importantes já foram combinados pelas almas antes mesmo que os corpos se vejam". Vai ver é isso.
Bjão!

Carolina disse...

Jub
tbém sou impulsiva, hoje bem menos do que antes, aprimorei ( i hope so) este item do meu perfil.rs
Mas qdo falo em sensações falo naquela voz interior que nos leva acertar ou não em determinadas situações/pessoas. A real é que pouco ouvimos ela.Infleizmente não fomos "treinadas" para entender ela.
bjs

Debor@h
ai que tudo de bom esta história de vocês, eu já vivi isto com um paulista e jamais vou esquecer. Apesar de não estarmos mais juntos, foi eterno enquanto durou. Me sinto em casa com ele até hoje e sei que ele tbém se sente assim comigo.
bjs

Deni,
Já aconteceu isto comigo e sabe o que eu pensei no final? Valeu, apesar dos pesares, validou aquilo que já não tinha dado certo antes. E tbém por outro lado a gente tende a mitificar o que passou, o único saldo positivo é a confirmação de que não era pra ser e isto nos fazer seguir adiante. Mais leve? Nem sempre, mas...
bjs

Nine,
eu tenho uma amiga que diz que qdo acontece isto é porque fomos gêmeas da tal pessoa. Aí ela fica chamando a pessoa de gêmea pra cá, gêmea pra lá, mas ela tem razão, somos cheios de pares por aí, o difícil é encontrarmos ou, na melhor das hipóteses, estarmos abertos para isto.
Momento treva? Adorei o termo...
bj

Babi,
tempo é bom, é a entresafra de coisas melhores que virão! Tempo de semeadura é um tempo que requer atenção, carinho, delicadez com a gente mesmo. Mas logo vem a colheita com seus bons frutos.
bjs

Paloma
que lindo e verdadeiro isto que tu escreveu. Gosto muito da filosofia espírita e acredito no encontro de almas. Só tenho cá minhas dúvidas qdo falam em UMA alma gêmea. Acho que existem várias nas nossas vidas.
bjs

Nine disse...

Carol... o blog tá redirecionando automatico. Ainda tá cheio de tralha... hehehe, em reformas. MAs to tentando ajeitar logo, pra não dar problema. Sabe que to gostando da mudança, só que dá um trabalho... afff!!!

Qq coisa, se tu não conseguir acessar, me avisa por aqui: afcopetti arroba gmail ponto com, tá.

Éverton Vidal Azevedo disse...

Fiquei besta e empolgado com isso. Até pensei em fazer o mesmo com uma amiga hahaha, mas sabe lá né, vai que nao aconteça, a gente que sentir esse insight né?

Se bem que também foi uma questao de lutar pelo que se quer aliado ao contexto dos dois e muita sorte.

Juliana Mendes disse...

Mudando de assunto...
OOdeio o fato de existirem profissionais, qe se ridicularizam ao ponto de vigiar pessoas tão comuns e tão cheias de imperfeições...
e pior ainda as pessoas qe acompanham a vida dessas outras pessoas, que para as pessoas comuns n contribuem em nada
=/


eu quero qe Kauã reymond e Grazi Massafera fodam-se

Carolina disse...

Nine,
que bom que está gostando da mudança.
Eu achei lindo o novo bloguenho! E com certeza é sempre bom, seja ela de que jeito venha e pareça no início, no final é sempre pra melhor.
Bjos

Everton,
Vai fundo, mete as caras. Quem sabe não está aí uma grande aventura romântica, hein? Depois me conta como foi!
Agora se é sorte, não sei, mas o universo conspira com o que tem que acontecer conosco
Basta atenção para onde olhamos.
Bjos

Ju
Todos somos curiosos com a vida dos outros, uns mais outros menos. Faz parte de nós, o ser humano é sedento de conhecimento e curiosidades. Tks god!
A mídia somente explora o que está ali e se esbalda com o que vende. Mas nem vamos entrar neste item senão daria outro post – Mídia – paparazzi – pessoas.
Uns vivem disso e outros olham de vez em quando, mas desde que o mundo é mundo temos olhos para quem está na vitrine. Faz parte do glamour.
Claro que é preciso ter noção, senão vira loucura.
Bjos

Bom finde a todos!!!

Elaine disse...

Olá!
Este é um comentário-lembrete:
Amanhã, dia 20 de setembro, é o dia da Blogagem Coletiva Uma carta para mim em comemoração ao 1º aniversário do meu blog.
Como seu blog é um dos inscritos estou passando para lembrar.
Espero por você!
Elaine

Adriana Calábria disse...

Já aconteceu comigo DUAS vezes!

Na primeira, uma paquera na praça de alimentação de um shopping. Depois de quatro horas de conversa, eu sabia que ia rolar. E rolou, um casamento!

Na segunda, foi no beijo! Na hora deu um choque! Noooooossssa!!!! , Até hoje somos amigos.

Não duraram. Mas o que vivi ficou eterno.

Bjsss

Bill Falcão disse...

Muito interessante essa história do Mark e da Jennifer, Carol!
Mas, não funciona com todo mundo não, né?
Bjoooooooooo!!!!!!!!!!

Valéria Martins disse...

Pois é!... Uma amiga nutricionista, no dia em que conheceu o (futuro) marido, disse para uma amiga: "Tá vendo aquele ali, é o meu marido". Detalhe: ela o via pela primeira vez, ele entrou numa sala do hospital onde trabalhavam e ela apontou e falou isso. Incrível, né? Estão juntos até hoje, moram em Alicante, Espanha.

Carolina disse...

Elaine,
Já postei. Espia lá no último post.
Parabéns por tudo e também pela idéia. Curto ações coletivas. Mobilizar é agregar sempre.
Bjos meus

Adri,
Que legal as tuas histórias, hein?
E o que importa no final não é o tempo e sim a intensidade. Afinal, todos somente passamos um tempo, “na casa de alguém”, né?
Bjos queridos pra ti

Bill
Concordo contigo. Não acredito que funciona pra todos.
Não existe regra.
Bjão

Val
Uau !!! Que história,hein?
Sabe que isto aconteceu comigo? E o resultado foi uma filha que nos dá prazer e alegria.
Bjos queridos pra ti